sexta-feira, 4 de junho de 2010

Depoimento de um Vencedor.

Olá, amigos candidatos!

Hoje eu vou fazer um post especial. Vou postar o depoimento de Igor Siembra, 1º colocado no concurso para Agente de Polícia Federal 2009. Além de extremamente motivante, acho que seu relato é muito importante para aqueles que ainda acham que o caminho é fácil, que é um "mero" concurso.

Só uma observação: eu retirei esse texto do blog Saga Policial. Procurei entrar em contato com o Igor e pedir autorização para a publicação diretamente a ele, mas não consegui. Então, se houver algum problema em publicar esse post, peço ao pessoal da Saga Policial ou o próprio Igor que me comunique.

Bom pessoal, com vocês, o depoimento de um campeão:

“Comecei a estudar no início de 2007. Trabalhava muito e ganhava muito pouco. Como não tinha muita expectativa de melhora, resolvi começar a estudar, e a estudar Direito Administrativo e Constitucional, pois são as matérias que caem em todo concurso. Na época estava pra sair o concurso regional da PRF, então resolvi estudar para a PRF. Com poucos dias de estudo, vi que não queria exatamente PRF, e sim PF.

Comecei, então, a estudar focando a PF. E quanto mais eu lia sobre o concurso da PF mais ia incutindo em minha mente que este era meu objetivo de vida. Resultado: me apaixonei por isso. No entanto, com menos de 2 meses (eu acho), parei de estudar por causa do trabalho. Estava me consumindo muito e estava tendo que viajar para fazer cursos etc. E os rumores sobre o concurso da PF diziam que o mesmo só sairia no final de 2008. Isso também fez com que eu relaxasse. Só voltei em setembro (eu acho), e estudei mais uns 3 ou 4 meses.

Nessa época eu trocava o dia pela noite. Trabalhava de 5:30 da manhã às 14:00 h. Eu chegava em casa por volta de 15:30h, dormia (ou pelo menos tentava) e acordava por volta de 11 da noite. Aí estudava de 00:00h ás 05:00 (dava umas 4 a 4 h e meia líquidas). Não deu muito certo. Começou a interferir muito no meu rendimento no trabalho e perdi muito peso (pra quem já é um tanto magro, cada quilo faz diferença). Parei fim do ano de 2007 quando minha então namorada engravidou. Logo quando eu estava querendo pedir demissão do emprego para me dedicar integralmente. Meus planos foram por água abaixo. Parei de vez de estudar. Nesse intervalo meu salário melhorou bem. Dei uma relaxada por conta disso também. Mas não estava feliz. Não era aquilo que eu queria. Eu queria, e tinha que conseguir, ser APF.

No final de julho de 2008 procurei o LFG da minha cidade (Crato-CE) e me informaram que não iam ter turma pra agente e escrivão. Me desanimou. Mas, em cima da bucha, um primo meu ligou pra lá e disseram a ele que estavam precisando de mais 3 pra fechar a turma. Pronto, esse meu primo, eu e outro amigo entramos e foi fechada a turma. No período do curso, cada vez mais eu tinha certeza que era o que eu queria. Veio o nascimento do meu filho. Minha esposa (já tinha casado) morava em Fortaleza com meu filho recém-nascido, por que fazia faculdade. E eu no interior.

Quando o cursinho entrou em recesso, coincidiu com minhas férias do emprego. Resolvi, então, ver quanto eu era capaz de estudar num mesmo dia. Comecei com 4 a 5 horas. No final das minhas férias do emprego, já tinha voltado às aulas e eu estudava 7 e meia a 8 horas (cronometradas), fora o cursinho. Isso me empolgou muito, então resolvi pedir demissão para me dedicar integralmente. Além do fato de morar longe do meu filho, pelo qual eu sou apaixonado. Minha família (pai e mãe) não aceitava. E eu precisava do apoio deles, pois eu não tinha (ainda não tenho) casa. Mesmo assim eu decidi falar com meu chefe pra ver se seria possível eu ser demitido (com isso eu ganharia a rescisão mais a liberação do FGTS). Além disso, eu tinha um pouco de dinheiro guardado. Pronto, era o que eu precisava. Pedi demissão.

Minha esposa teve papel muito ativo nessa decisão. Ela fez de tudo para me convencer. Felizmente, não cheguei a precisar muito do dinheiro, pois meus pais resolveram me apoiar quando viram que não tinha jeito. Acabei usando parte desse dinheiro em outras coisas. Mas só saí em meados de abril 2009 (3 meses depois de pedir). Nessa época, diminui o ritmo de estudos e, muito perto de eu sair da empresa, passei num concurso para perito criminal na Paraíba e noutro para gestor público estadual em Pernambuco. Quando estava livre, me achei no direito de não estudar mais, afinal, eu tinha passado num concurso.

Fui embora pra Fortaleza, e, mais uma vez, vi que estava no rumo errado e resolvi voltar a estudar, porquanto vi que não queria ser perito criminal da polícia civil. Eu queria ser APF. Mais nada serviria!

Mas só voltei a luta dos estudos exatamente no dia 18 de junho de 2009. A partir de então, passei a seguir uma metodologia que um cara que passou para auditor da receita me indicou num texto que achei na internet. Isso foi crucial. Devo muito a esse cara por isso. Por conta dessa metodologia, passei a estudar todas as matérias, e não só as de Direito. Comecei com 8 horas de segunda a sábado (meta de 48 semanais). Sempre faltavam horas, aí eu completava no domingo. Com poucos dias saiu a autorização do concurso, então eu endoidei. Passei a estudar 10 horas. Alguns dias eu conseguia 12, mas no outro dia acordava mais tarde, aí atrapalhava. (...) Digo mais, eu usava esse texto como meu guia de bolso. Segui praticamente todas as dicas.

A bibliografia que usei foi a seguinte:

Direito Adm. e Direito Const:
Marcelo Alexandrino e Vicente Paulo (a que todo mundo usa).

Direito Penal:
Rogério Greco (os 4 volumes). Claro que não cai tudo. Aí você filtra o que está no edital. Mas aconselho a estudar não só por esse último edital. Acho que este foi reduzido devido aos prazos atropelados.

Direito Processual Penal: Nestor Távora.

Legislação Penal Especial: Fernando Capez + Letra da lei.

Administração: Basicamente utilizei o material do LFG. Li inúmeras vezes. Li também os capítulos pertinentes do livro do Idalberto Chiavenato, mas tem pouca coisa nele.

Economia: Estudei pelo material do LFG e pelo material da Vestcon. Já havia cursado esta disciplina na Faculdade, não tive grandes dificuldades.

Contabilidade: Livro do Adelino Correa (prof. do LFG) e o livro do Ricardo Ferreira. Este último é mais completo, mas é um tanto mais longo.

Português: Gramática: Marcelo Rosenthal; Interpretação: Renato Aquino;

Raciocínio Lógico: Material do LFG e material do Master que consegui na internet.”


Leia mais: http://concursopolicial.blogspot.com/2009/10/saga-do-primeiro-colocado-geral-da-pf.html

______________________________________________________

O texto ao qual o Igor se refere no depoimento, suspeito que seja esse, escrito pelo Auditor Alexandre Meirelles:

http://www.pontodosconcursos.com.br/admin/imagens/upload/2632_D.pdf


Então, pessoal, espero que tenham gostado do depoimento desse vencedor. Como virão, o caminho não é fácil, há muitos obstáculos a serem vencidos, mas, apesar de não ter religião, recorro a uma passagem bíblica: "nada é impossível para o que crê".

Forte abraço a todos!

E rumo à PF!


11 comentários:

  1. Já tinha lido na Saga,mas sempre é bom ler de novo.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. excelente texto. motivador.

    Também já havia lido o depoimento.

    Muito bom o blog.

    Abraços

    ResponderExcluir
  3. Boa iniciativa. Mesmo a maioria já conhecendo.
    Tinha de constar este depo. Ainda assim, sempre há um desavisado q nunca leu rs
    Abção.

    ResponderExcluir
  4. Sempre bom ver pessoas motivadas, ser PF é mais que um sonho é uma realização, devemos deixar de lado a motivação salarial, maior parte das pessoas que desejam encarar a vida policial de preferencia Federal, não pensam nos riscos de ser um policial, não pensam que passarão longos meses distanciado da familia, tendo como amigos somente policiais, toda vez que algum jornal cita um concurso publico para PRF ou PF ganhando acima 7000 mil reais muitos brilham os olhos não só pelo salario mas também pelo fato de portar uma arma, não tem a minima vontade de encarar delegacia, prender bandidos, trocar tiroteio em fronteiras com traficantes e viver em regime de tempo integral(significando que ficará a inteira disposição da Policia seja dia, noite, feriado e etc) sabendo-se que não poderá crescer profissionalmente, que dependendo de onde te enviar ficará em um Aeroporto verificando passaportes, ou fazendo serviços simples, sem o Status sonhado, a não ser que queira se tornar delegado federal, passando a vida inteira no mesmo cargo, esperando apenas se aposentar...

    Me dá gosto saber que existem pessoas esforçadas que desejam ser Policial, o esforço é a garantia que este possivel policial será uma pessoa de bem, que procura justiça, que dá valor a profissão de Policial.

    ResponderExcluir
  5. Meu nome e samuel, Tenho 34 anos e com 15 parei' de estudar para ajudar minha familia nos seus afazeres, minha mae e empregada domestica e meu pai e pescador. Iniciei meu estudos exatamente no dia 22 de maio de 2011, completei o meu primeiro grau este ano, e concerteza termino o 2 grau o ano que vem. meu objetivo e PRF, e tenho isto muito forte em minha cabeça, tanto que ja estou estudando para um futuro proximo estar nesta gloriosa corporaçao..e que DEUS me ajude

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai na fé, querer é poder, um abraço, e boa sorte nos estudos!

      Excluir
  6. O que nos move é a determinação mesmo, esse cara é um guerreiro vencedor! Um incentivo a todos nós. Adriannajdias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá pessoal, meu nome e Emerson tenho 18 anos e sonho em ser PF desde os meus 14 anos. Quando falava isso para meus pais eles nao davam bola ate pelo fato de eu ser muito novo, mas agora que estou tendo que decidir minha vida e, ainda mantenho o sonho de ser PF, meus pais nao me apoiam muito por acharem uma carreira de muitos riscos e por nao ter a característica de crescer profissionalmente. O fato é que assim como o existem pessoas que nasceram para ser médicos, engenheiros, dentistas e varios outras coisas, tambem existem aquelas que escolheram ser POLICIAIS, e essas pessoas somos NÓS. Muita gente desiste da carreira policial por causa do que os outros falam. Só gostaria de dizer que quem decidi o que vamos ser somos nós mesmo, entao quem ainda possui esse sonho, corra atras, pois e isso que o fará feliz, e nada melhor que fazer algo por amor.
    Desejo otimos estudo para todos aqueles que possuem o mesmo sonho que eu, RUMO A POLICIA FEDERAL. Abraço a todos

    ResponderExcluir
  8. Enxerguei um pouco de mim no depoimento de Igor Siembra,mas ainda não consegui realizar esse sonho.Vários concursos em outras áreas,mas o interesse sempre foi a PRF enquanto não exigiam nível superior,algumas tentativas em concursos da PF mas sem muito foco, pois não completei a faculdade ainda.Percebi que nesses anos todos segui um caminho que não era o que eu realmente queria,contituí uma maravilhosa família e hoje sinto o que já percebia no passado, o desejo de envelhecer exercendo um trabalho na área policial, não pelo dinheiro.Continuamos na luta e nos estudos.
    Abraço

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu comentário. O feedback é importante para continuarmos a fazer o que fazemos.